terça-feira, novembro 21, 2006

CONHEÇA NITEROI


Foto: Praia de Niteroi - Bruno Camolez

São apenas 13 quilômetros separando as belezas de Niterói da cidade maravilhosa. Só pela vista que de cá se tem dos maiores pontos turísticos do Rio, já valeria a visita. Mas Niterói tem mais, tem seus próprios encantos. Praias belíssimas e noite agitada para todos os grupos; museus conhecidos mundialmente e espaço para esportes radicais; o belíssimo Teatro Municipal João Caetano e um grande centro de compras, basta atravessar a rua.

A tão conhecida qualidade de vida da cidade está sempre de portas e sorriso abertos esperando por seus turistas visitantes.

Não são poucos os índices que apontam Niterói como uma das melhores cidades do Brasil para viver, trabalhar e investir. Crescendo em silêncio e apostando na capacidade produtiva de seus moradores, Niterói conquistou, de forma sólida, um espaço de destaque no cenário fluminense e nacional que os números não deixam mentir.

Município mais escolarizado do país, segundo dados do INEP (Ministério da Educação), Niterói tem o maior índice de freqüência escolar entre a população de 7 a 14 anos (97,52%). A média de anos de estudo chega a 9,5 com uma taxa de alfabetização de 96,4% na população acima de 15 anos. Os investimentos de base dão à cidade a melhor qualificação de mão-de-obra de todo o Estado do Rio de Janeiro, superando inclusive a capital.

Terceiro Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país, segundo o PNUD, Niterói oferece a sua população exemplos de prevenção na área de saúde e saneamento básico. Pioneiro na implantação do Programa Médico de Família, o município é um dos poucos no Brasil a ter 100% de sua área atendida com fornecimento de água tratada e 75% dos desetos coletados e tratados em uma ampla rede de esgoto que inclui cinco Estações de Tratamento.

Niterói com qualidade. Adotou políticas públicas voltadas para o desenvolvimento urbano, mas aliadas a um extenso e planejado processo de inclusão social, priorizando as áreas de saúde, educação, desenvolvimento econômico, educação, cultura e saneamento.

Quem vive em Niterói tem motivos para se orgulhar. Durante anos considerado uma "cidade-dormitório", o município é hoje referência em serviços e qualidade de vida, mostrando que é possível crescer de forma unificada, gerando empregos, renda, investimentos e, acima de tudo, um bom lugar para viver.

Seja bem vindo e aproveite o que nossa cidade tem de melhor!


GEOGRAFIA DA CIDADE

Foto: Divulgação

Área: 131,8 km² População: 471.403 habitantes (dados de 2004 - IBGE) Densidade demográfica: 3.504 hab/km² Altitude média: 5 metros acima do nível do mar Ano da fundação: 1573 Distância do Rio de Janeiro: 13km

Atualmente 100% do município tem água tratada. Em 1999 eram apenas 46%; 75% do território de Niterói é coberto pelo tratamento de esgoto, enquanto a média nacional é inferior a 20%; O litoral possui 11 quilômetros de praia; 96,45% da população acima de 15 anos sabe ler e escrever; Entre 2003 e 2004 foram criadas 5 mil novas vagas e 60% das unidades escolares foram reformadas.



Foto: Vista da Cidade - travelblog.org


A HISTÓRIA DE NITEROI

A história de Niterói começa com a descoberta da existência do pau-brasil. Com isso, surgiu a necessidade de ocupação e povoamento do recôncavo, pólo de consolidação da conquista, sempre ameaçada pela presença de estrangeiros, sobretudo os franceses, que estavam interessados na exploração do pau-brasil.

Um desses franceses era Nicola Durand de Villegagnon, que manifestava o interesse de fundar uma colônia nessas terras, a França Antártica. Os grandes aliados dos franceses eram os índios Tamoios que dominavam a região de Niterói e trocavam com eles o pau-brasil e utensílios.

Em 1° de março de 1565, os portugueses fundaram a Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Mas, apesar do domínio luso, a presença constante dos franceses no litoral ainda incomodava. Foi aí então que, com reforços de Portugal e a ajuda dos índios Teminimós, vindos do Espírito Santo e chefiados por Araribóia, os franceses foram expulsos em 1567.

Depois dos combates travados contra os franceses, Araribóia e sua tribo permaneceram no Rio de Janeiro e, em 1568, foi batizado na religião católica com o nome de Martín Afonso de Souza. Como recompensa aos serviços prestados à Coroa Portuguesa, Araribóia recebeu terras do outro lado da Baía de Guanabara. A doação, feita por Mem de Sá, foi efetivada em 6 de março de 1568, mas a posse definitiva só aconteceu em 22 de novembro de 1573. É esta, atualmente, a data mais importante de Niterói, quando se comemora o aniversário da cidade.

Em 1587, com a morte de Araribóia, as terras começaram a ser subdivididas. A partir do século XVII, as grandes fazendas espalhadas pela região deram origem aos núcleos urbanos.

A vinda da família Imperial para o Brasil, em 1808, dá início ao desenvolvimento na nova sede do reino, com a implantação de políticas de estímulo à urbanização e a criação de instituições que passam a mover a economia.

Em 1816, ocorreu um fato curioso e que movimentou a população de Niterói: Dom João VI esteve na cidade e escolheu São Domingos para passar o 31 de maio, seu aniversário.

Em 1834, é criada a Província do Rio de Janeiro e Niterói é escolhida como capital provisória. Convocada a primeira Assembléia Provincial, a vila é confirmada como capital e, dois dias depois, elevada à cidade com a designação de Nictheroy.

Em 1889, com a Proclamação da República e a transformação das antigas províncias em estados, Niterói passou a ser a capital do Estado do Rio de Janeiro.

Mas em 1893, por conta de interesses políticos regionais, a capital foi transferida para Petrópolis. Porém, em 1902, durante o governo de Quintino Bocayuva, a cidade recupera a condição de sede do governo, assim permanecendo até 1974, quando ocorreu a fusão entre os antigos Estados do Rio e da Guanabara. Mesmo sem a presença do poder estadual, o município desmentiu a tese de esvaziamento e reencontrou sua identidade cultural, sua vocação para o turismo e sua importância política e econômica.


Os 50 Bairros de Niteroi

01 - Barreto
02 - Ilha da Conceição
03 - Santana
04 - Engenhoca
05 - Tenente Jardim
06 - Ponta d'Areia
07 - Centro
08 - São Lourenço
09 - Fonseca
10 - Baldeador
11 - Santa Bárbara
12 - Fátima
13 - Cubango
14 - Viçoso Jardim
15 - Caramujo
16 - Maria Paula
17 - Pé Pequeno
18 - Ititioca
19 - Sapê
20 - Matapaca
21 - São Domingos
22 - Morro do Estado
23 - Santa Rosa
24 - Vila Progresso
25 - Muriqui
26 - Gragoatá
27 - Ingá
28 - Icaraí
29 - Vital Brazil
30 - Viradouro
31 - Largo da Batalha
32 - Badu
33 - Boa Viagem
34 - Rio do Ouro
35 - Várzea das Moças
36 - São Francisco
37 - Cachoeiras
38 - Maceió
39 - Cantagalo
40 - Jacaré
41 - Engenho do Mato
42 - Jurujuba
43 - Charitas
44 - Cafubá
45 - Piratininga
46 - Itaipú
47 - Camboinhas
48 - Itacoatiara
49 - Pendotiba
50 - Várzea das Moças



CURTINDO A NOITE DE NITEROI

Foto: Réveillon 2003 80 mil pessoas - Praia de Icara

ROTEIRO TURISTICO DE NITERÓI
O QUE FAZER EM 3 DIAS?

Niterói possui uma diversificada beleza natural, lindos patrimônios históricos e diversos locais para se visitar. Um exemplo disso são esses 3 roteiros diários para que você possa conhecer os principais pontos e aproveitar ao máximo o seu tempo nessa maravilhosa cidade.



Foto: Museu de Arte Contemporânea - Divulgação

1° DIA: MAC E FORTALEZA DE SANTA CRUZ

Visite o Museu de Arte contemporânea e siga pela orla, conhecendo as praias de Icaraí, Praia de São Francisco e Praia de Charitas, onde diversas opções gastronômicas são um convite ao almoço.

Logo a seguir a estrada passa por uma pitoresca colônia de pescadores antes de alcançar o Forte de Santa Cruz, um imponente complexo arquitetônico militar construído para proteger a Baía de Guanabara. Para completar seu passeio consulte os diversos programas da agenda cultural.



Foto: Parque da Cidade - Internet

2° DIA: PARQUE DA CIDADE E PRAIAS OCEÂNICAS

Área de preservação ambiental, localizada no Morro da Viração, a uma altitude de 270 metros. O Parque da Cidade reinaugurado oferece estrutura turística e possui duas belas paisagens, uma visão da Região Oceânica onde é possível admirar as lagoas de Piratininga e Itaipu e as praias oceânicas.

A outra vista é um maravilhoso espetáculo dos bairros e praias da Baía de Guanabara, a baía em si, assim como um belo panorama da cidade do Rio de Janeiro. No local existem duas rampas para prática de vôo livre.

Seguindo para a Região Oceânica, encontram-se as praias de Piratininga e Camboinhas, onde é possível degustar especiarias sentado nas areias da praia. A próxima praia é a Praia de Itaipu, que oferece águas calmas, além de restaurantes especializados em peixes e crustáceos e o mais belo pôr-do-sol da cidade. Mais à frente, surge a Praia de Itacoatiara, paraíso dos surfistas e dos jovens.

Foto: Teatro Municipal de Niteroi - Divulgação

3° DIA: PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Comece pela Igreja dos Indios que guarda em seu interior um precioso retábulo jesuítico, símbolo religioso da origem de Niterói. Descendo em direção ao centro, a Praça da República abriga um conjunto de prédios do início do Século XX, imperdível.

O Teatro Municipal de Niterói, totalmente restaurado, é citado pelos historiadores como marco do teatro brasileiro, e funciona com os melhores espetáculos nacionais. Em frente ao Teatro, aproveite para conferir no Plaza Shopping as delícias gastronômicas e excelentes lojas da cidade. Seguindo em direção ao Ingá, visite o Solar do Jambeiro, belíssimo prédio de arquitetura portuguesa do Séc. XIX, revestido de azulejos.

Termine o dia no Museu do Mirante no Alto da Boa Vista, com pinturas do início do Século XX.Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o Museu, construído no Mirante da Boa Viagem, local privilegiado que se debruça sobre as águas da Baía de Guanabara e leva o olhar do visitante até o outro lado, onde estão o Corcovado e o Pão de Açúcar.

Niemeyer afirmava que ao visitar o local "imaginou o museu como qualquer coisa solta na paisagem, um pássaro branco a se lançar sobre o céu e o mar de Niterói"; o que quer dizer um supremo respeito à paisagem.

O Museu conta com a coleção de João Satamini, uma das mais importantes do país, com uma amostragem significativa de tudo que vêm atualizando a nossa arte, desde os anos 50. Mais um passo para tornar Niterói, a Capital da Cultura Brasileira. O Museu tem sido considerado um referencial turístico mundial. "A arquitetura de Niemeyer está plantada na terra, mais levita".Inaugurado em 6 de setembro de 1996.

Local: Mirante da Boa Viagem, s/nº - Boa Viagem Tel.: 2620-2400 / 2620-2481 Visitação: de Terça-feira a Domingo de 10h às 18h; Segunda-Feira: Fechado Tarifário: adulto - R$ 4,00 / Estudantes: R$ 2,00 / Quarta-feira - Grátis

Fonte: Niterói Turismo, Nitvista.com

2 comentários:

Claudinha disse...

Eu passava as férias no estado da Guanabara, na cidade do Rio. Lá foi que vi tv a cores pela primeira vez em 72, vi os trapalhões que tinham outro nome na época. Passei sobre a ponte, conheci Niterói. Faltou conhecer muita coisa e muita gente, mas o tempo é quem sabe de nossas vidas...
Um beijo!

ROGER disse...

PORRA, TA MUITO FODA ESSA PARADA AQUI.