domingo, fevereiro 19, 2006

O Maior Show dos Stones


Foto: Daniel Ramalho

Os Rolling Stones fizeram ontem o maior show da história de sua carreira, do rock e do Rio. Um show Histórico com transmissão para os Estados Unidos, Canadá e México Com direito a um telão de 13 metros de altura, meteoritos coloridos voam, um "space shuttle" surge voando, guitarras e aparelhos de som passam, a platéia é recorde aproximadamente 1 milhão e 700 mil pessoas.

A maioria se espremeu em torno do palco montado nas areias da praia. Foram apresentadas vinte músicas em duas horas de show com uma precisão impressionante. Quando Os Stones fizeram o agradecimento final e deixaram o palco eram 23h45m e o show começara, como combinado, às 21h45.


Mick Jagger, aos 62 anos, surgiu vestindo colete prata, calça preta colada ao corpo e cinto de strass. A multidão delirou. Ao som de um dos maiores hits da banda, “Jumping Jack flash”, Mick deu início a uma noite inesquecível, consagrando Copacabana.

Foto: Agencia Routers

“Copacabana é a melhor festa do mundo!” — gritou Jagger, frase mais do que suficiente para provocar gritos histéricos e fazer milhares de mãos acenarem em sua direção.

"Gostaria de dizer 'hello' para as pessoas que estão nos vendo na TV, desde o Canadá, Estados Unidos, México", disse Jagger após a terceira canção, "You Got Me Rocking", depois de mandar um "tudo bem?" em português.

"Tem gente de São Paulo aqui?", perguntou o vocalista mais tarde. "E da Bahia? E de Porto Alegre? E do Rio", disse, finalmente, provocando gritos generalizados da multidão ao citar a última cidade. "Vocês são fantásticos."

O set de 20 músicas quase todas de sucesso, é um privilégio exclusivo de pouquíssimas bandas com alta quilometragem. Mick Jagger cheio de simpatia e quase amor, como o bloco que desfilara horas antes em Ipanema, falou muitas frases em português ajudado por um teleprompter,o que lhe permitiu saudar o povo com um "Tudo bain? Boa noche galera" após a segunda música, "It's only rock'n'roll".

Além das canções de "A bigger bang", os Stones pegaram uma única canção dos anos 90, "You got me rocking" (Voodoo Lounge, 1997) e se concentraram nos anos 60 e 70, incluindo desconhecidas por aqui como ''Get off of my cloud'', tocada quando um pedaço do palco se deslocou 60 metros para ficar a apenas três metros do povão.

Foto: Getty Images

Nas condições peculiares do show de Copa, com o público muito distante, eles podiam ter estendido os números dessa parte, mas ficaram no previsto, uma música no deslocamento para a frente, ''Miss you'', duas músicas lá, ''Get off'' e ''Rough justice'' e uma quarta na volta ao palco principal, ''Honky tonk women''. Executada pela primeira vez na turnê no palco B, praticamente dentro do público, ''Rough justice'' foi um belo presente para a galera. É um rockão de primeira à altura de mísseis como ''Rocks off'' e ''If you can't rock me''.

Outro presente foi a canção de Ray Charles "Night time is the right time", tocada apenas três vezes este ano. Trata-se de um bluesão que vai direto às origens da banda. Os Stones eram cinco moleques de classe média que se amarravam na música negra americana mais autêntica (os Beatles preferiam a diluição da Motown).

A vocalista Lisa Fischer arrasou nesta música, de minissaia brilhante e pernas maravilhosas, lembrando a TinaTurner com quem os Stones excursionaram na virada dos 60 para os 70. Se eles tivessem tocado "Gimme Shelter", Lisa teria dado outro show. Ficaram devendo esta. Na balada ''Wild horses'', Lisa e o vocalista Bernard Fowler dançaram agarradinhos.

Foto: Daniel Ramalho

Quando pegou a gaita para uma maravilhosa interpretação de 12 minutos de ''Midnight rambler'', a melô do estrangulador de Boston, Jagger fez uns corinhos de ''uuuhum'' e a seguir disse ''John Lee Hooker'', numa alusão ao grande mestre do blues. Mais adiante fez um ''oh yeah'' gutural a la Muddy Waters, duas homenagens aos influenciadores da banda.

Keith Richards, a ruína roquenrol em pessoa, arrasou no set de duas músicas, "This place is empty" e ''Happy''. "É bom estar de volta. É bom estar em qualquer lugar," disse Keith, numa prova de que não abre mão de um dos seus grandes vícios, a estrada. Seu companheiro de guitarra, Ron Wood, solou muito o show inteiro, especialmente no que faz de melhor, a slide guitar. Ele brilhou no set de Keith num violão e numa guitarra tipo weissenborn (havaiana) - e ainda em ''You got me rocking''.

Charlie Watts, que passou por um tratamento para câncer no pescoço, mostrou o vigor e a precisão de sempre, mandando umas viradas sempre que a banda fazia um pequeno intervalo entre uma música e outra para tomar água e trocar de guitarras. O baixista Daryll Jones, que andou se aventurando pela boate Help, fez seu solo em "Rain fall down" e segurou bem a cozinha com Charlie.

Outro veterano da banda de apoio, Chuck Leavell, se destacou nos pianos de ''Miss you'', ''Sympathy for the devil'' e no órgão de ''You can't always get what you want''. O naipe de sopros, com músicos de formação jazzística e o roqueiro Bob Keys, foi bem prejudicado na mixagem de som. Keys brihou apenas no solo de ''Brown sugar'', soltando os bichos no sax tenor.

Foto: Getty Images

Apesar da área Vip ter o privilégio de vê-los bem próximos era lá de longe que vinham as palmas e os coros para as canções, como "Sympathy for the Devil", "Start me Up" e "Wild Horses", além da empolgação como quando o guitarrista Keith Richards cantou sozinho no violão "This Place Is Empty" e a multidão não parou de gritar "Ole, ole, Richards, Richards!".

Além de Jagger, Richards, Ron Wood e Charlie Watts, a banda contou com o baixista Darryl Jones, dois saxofonistas, um trompetista e outro músico ao trombone. Havia também três backing vocals e a cantora Lisa Fischer.

O encerramento desta noite histórica foi com Jagger cantando "You Can't Always Get What You Want" e a mais conhecida do público "Satisfaction", vestido com uma camiseta branca com a bandeira do Brasil, escrito "Rio de Janeiro" embaixo, em mais uma homenagem à cidade que viveu dias de expectativa para receber o grupo.


Veja o set list:

01- Jumpin Jack Flash, 02- It's Only rock and roll, 03- You Got Me Rock, 04- Tumblin dice, 05- Oh no not you again, 06- Wild Horses, 07- Rain fall down, 08- Midnight rambler, 09-The night time is the right time, 10- This place is empty, 11- Happy, 12--Miss You, 13-Rough Justice, 14- Get off of my cloud, 15- Honky tonk woman, 16- Sympathy for de devil, 17- Start me up, 18- Brown Sugar 19-You Can't Always get what you want, 20- (I Can't Get No) Satisfaction.

Foto: Site Copacabana.com

REGISTRO HISTÓRICO

Segundo a revista "Billboard", a atual turnê mundial dos Rolling Stones, "A Bigger Bang", pode tornar-se a mais lucrativa da história da música. O show transmitido ao vivo pela Rede Globo foi gravado para um especial da emissora e para o lançamento posteriormente em DVD, com lançamento mundial previsto para o segundo semestre deste ano.

Os Bastidores do Show vão virar filme e DVD terá material da equipe de filmagem do grupo, com oito câmeras. O filme, a princípio, será exibido apenas no mercado americano. O DVD será lançado mundialmente no segundo trimestre deste ano.

Agora é só esperar pelo DVD Oficial da Apresentação no Rio...


Fontes : Globo On Line , JB On Line, Site Copacabana.com

2 comentários:

Isabel-F. disse...

...serão sem dúvida eternas estrelas...

boa semana para ti

bjs

Lulu on the sky disse...

Esse show foi ótimo mesmo...