sexta-feira, agosto 11, 2006

OS ARCOS E SUA HISTÓRIA


Arcos da Lapa - OSL 40x70cm - João Barcelos

A construção dos Arcos da Lapa

"Os Arcos da Lapa é uma edificação ciclópica de alvenaria, com dupla arcada, entende-se ao longo de todo o vale, desde as faldas do morro de Santa Teresa, ao pé do convento dos Carmelitas, até os remanescentes do morro de Santo Antônio, constituindo um dos mais importantes monumentos do acervo arquitetônico da cidade do Rio de Janeiro".

Este cartão postal de nossa cidade foi erguido em 1712 primeiramente em madeira, para abastecer a cidade de água. O governador Aires de Saldanha 'contratou' índios assalariados e os pagava com dinheiro e roupas dispensando os escravos.

Só assim a obra foi concluída em 1726 seus 42 arcos de alvenaria. Os Arcos foram Inspirados no Aqueduto das Águas Livres de Lisboa para canalizar as águas do Rio Carioca, na base do Corcovado, até um grande chafariz no Largo da Carioca.

Devido a Erros na construção O aqueduto não resistiu à ação justamente da água. em 1738 pelo brigadeiro José Fernandes Pinto Alpoim, a mando do governador Gomes Freire, o Conde de Bobadela conseguiu autorização de D.João V para construir o aqueduto original de alvenaria.

O material utilizado desta vez na construção, que mede 64 metros de altura e 270 metros de extensão, foi granito brasileiro, argamassa de cal, areia e azeite de peixe.

Em 1896 Apesar de ter sua utilidade bem definida, a qualidade dos arcos surpreendeu a ponto de ter liberada a sua utilização também como ponte entre os dois bairros por uma linha de bondinhos.


Foto: Autor Desconhecido

O BONDINHO DE SANTA TEREZA

A companhia Ferro-Carril Carioca, criada em 1891, utilizava o bondinho inicialmente puxado por burros, em 1º de setembro de 1896, o primeiro bonde elétrico passou à atravessar os Arcos da Lapa (travessia esta exclusiva) pelo antigo aqueduto de Santa Teresa, ligando a colina de Santo Antônio, no Largo da Carioca, no Centro do Rio. O trecho de 11 quilômetros é o que resta da malha de 430 que a cidade teve até os anos 60.

A construção dos Arcos da Lapa não foi rápida já que a obra foi interrompida várias vezes devido ao seu alto custo, para conseguir terminar a construção Gomes Freire criou um imposto sobre a bebida alcoólica.

O historiador Euclides Gonçalves conta que ao invés de conseguir uma grande gama de recursos para a obra, ele conseguiu desencadear a primeira onda de sonegação no país, uma vez que os vasilhames eram adulterados. Mesmo com todos estes problemas o aqueduto ficou pronto e funcionou como aqueduto em 1925.

Em 1995, os Arcos da Lapa foram restaurados e os trilhos substituídos. A linha de bonde funciona até hoje e permanece como principal meio de transporte público de Santa Tereza. E hoje transporta em média Por dia, 2 mil pessoas, entre moradores e turistas.

Fontes de Pesquisa:

Euclides Gonçalves - www.ivt-rj.net
Pintura - http://www.joaobarcelos.com.br/
Rio Ondeir- http://www.rioondeir.com/rioantigo_1.asp

2 comentários:

Claudinha disse...

Oi moço, eu já gostava do Rio, mas do jeito que mostra os lugares, faz a gente se apaixonar... O meu Szafir ia sempre, mas eu nunca o acompanhava. Ele sempre falou destes arcos... Beijão!

Isabel-F. disse...

Gostei de ler e ter aprendido mais um pouco aí desse País maravilha.

Bjs